• Dra. Denise Muniz

DIU: qual o tipo recomendado para cada mulher



Busca um método contraceptivo de longa duração e que tenha altas taxas de eficácia? O DIU (Dispositivo Intrauterino) é uma boa opção.


Ele é recomendado principalmente para aquelas mulheres que não se adaptam à rotina de uso de contraceptivos diários, como a pílula. Por se tratar de um dispositivo inserido, eliminamos o risco de falha humana. Além disso, o uso do DIU inclui outros benefícios como:

- Alta eficácia: A taxa de gravidez com esses dispositivos é muito menor do que as taxas de outros métodos contraceptivos, variando entre varia de 0,9% a 1,5%.


- Acessibilidade: Um DIU não requer visitas frequentes ao médico ou prescrições repetidas. Sendo assim, se torna uma opção mais acessível para muitas pessoas, especialmente quando o seguro saúde cobre, ou no caso do DIU de cobre, que pode ser implantado pelo SUS.


- Flexibilidade: o dispositivo pode ser colocado a qualquer momento durante seu ciclo menstrual, não sendo necessário esperar que um período comece ou termine.

Mas vamos entender quais são as possibilidades do uso do DIU e as diferenças entre o dispositivo hormonal e o de cobre? Continue lendo!

DIU de cobre


Ele é a alternativa ideal para quem não quer (ou não pode) ter nenhum hormônio artificial circulando pelo corpo.


Muitas pessoas ficam na dúvida sobre como ele age no corpo. Entenda: o cobre tem ação espermicida, isto é, destrói os espermatozóides, impedindo sua penetração no útero.

PONTOS POSITIVOS


- Não libera hormônios.


- O Dispositivo Intrauterino de cobre tem eficácia de 99,3%, mesmo não sendo um método hormonal.


- Ele pode ser usado por até 10 anos


- O preço bem mais em conta que o seu similar hormonal e está disponível também no SUS.


PONTOS NEGATIVOS:


- Aumento do fluxo menstrual e das cólicas são as principais queixas das pacientes, já que o dispositivo pode gerar uma inflamação no útero.


- Pessoas com má-formação uterina ou que tenham apresentado alguma disfunção no órgão, provavelmente não se adaptarão bem.


DIU hormonal


O DIU de progesterona (Mirena) libera, gradualmente, o hormônio por cinco anos. Como ele funciona? A progesterona altera a secreção do colo uterino impedindo e dificultando a penetração dos espermatozóides.

PONTOS POSITIVOS


- Além de ser um método contraceptivo de longa duração, ele está entre os métodos mais eficazes que existem, similar à laqueadura ou vasectomia.


- O Mirena costuma diminuir a intensidade do fluxo menstrual e, após 6 meses de uso, 44% das usuárias param de menstruar. Para algumas mulheres isso pode ser uma vantagem, para outras não.


- Reduz o risco de certos tipos de câncer: os hormônios do DIU podem reduzir o risco de alguns tipos de câncer, incluindo o câncer de endométrio, que é o revestimento do útero.

PONTOS NEGATIVOS


- É contraindicado para mulheres com doenças ou disfunções como cervicites, vaginites, doença inflamatória pélvica, tumores pélvicos ou câncer genital, dentre outros.

DIU de cobre x DIU hormonal: qual é melhor?

Não existe resposta certa para essa pergunta, porque cada caso deve ser avaliado individualmente! Ao optar por qualquer tipo de método contraceptivo a mulher deve considerar seu estilo de vida, seus hábitos e até mesmo seu histórico de saúde (analisando se há fatores de risco que colocam em cheque o uso de hormônios).

Além disso, claro, a escolha deve levar em consideração as preferências de cada mulher. Como mencionamos anteriormente, essas são questões muito particulares que envolvem a escolha de qualquer método contraceptivo. Por isso mesmo a escolha deve ser assistida por um profissional!


“E se eu decidir engravidar?”


Se você pretende ter filhos ainda, não precisa se preocupar. Ambos os métodos são reversíveis. Após a retirada do dispositivo, sua fertilidade voltará ao normal rapidamente, não importando por quanto tempo você utilizou o método.

Ainda ficou com alguma dúvida? Comente aqui


Fonte:

www.gineco.com.br

Medical News Today https://www.medicalnewstoday.com/articles/323230

21 visualizações