• Dra. Denise Muniz

Diu: diferenças e eficácia

Um breve teste de conhecimento: você sabe o que é o DIU? E o SIU? Se não sabe o que são ou a diferença entre eles, esse blog é para você!

Pra quem não sabe sequer que existe mais de uma opção, existe o DIU de cobre e o DIU hormonal (também chamado de SIU - Sistema Intrauterino ou DIU Mirena). E a semelhança deles, além do nome, está no fato de que ambos são contraceptivos de longa duração. Se você costuma se esquecer de tomar a pílula ou tem sintomas com outros métodos por exemplo, eles podem ser ótimas opções, já que podem durar até 10 anos.

Mas vamos lá, hoje falo para vocês sobre uma dúvida frequente:

QUAL A DIFERENÇA ENTRE DIU DE COBRE E DIU HORMONAL?

Existem algumas, Mas já adianto que a principal diferença entre eles é o princípio ativo. Entenda:

DIU de cobre: como o próprio nome já sugere, seu princípio ativo é o cobre. Portanto, ele não tem ação hormonal, diferente das pílulas anticoncepcionais e do Mirena.

Como funciona? O cobre cria um ambiente hostil para o espermatozoide, impedindo que ele chegue até o óvulo, além disso ele espessa o muco vaginal criando uma barreira no colo uterino e mantém a parede do útero impropria para implantação. O melhor de tudo: ele pode ser mantido por até 10 anos.

Por outro lado, para mulheres que sofrem com um fluxo e cólicas intensos, ele pode não ser a melhor opção, já que pode agravar ambos.

DIU hormonal: novamente, como o próprio nome já diz, ele libera hormônio (levonorgestrel, um tipo de progesterona) dentro do útero, o que, assim como o cobre, cria um ambiente hostil para o espermatozoide.

Mas não se preocupe, a quantidade de hormônios absorvida pelo corpo é baixa, o que torna esse método mais seguro em termos de risco de desenvolvimento de trombose bem menores que outros anticoncepcionais hormonais!

Além disso, os hormônios liberados ajudam na diminuição das cólicas e dos sintomas indesejados da menstruação (podendo até interrompê-la). Ele também é um contraceptivo de longo prazo, podendo ser usado por até 5 anos.

QUAL VOCÊ DEVE USAR?

A escolha do melhor método anticoncepcional envolve muitos fatores além do mais óbvio, que é evitar a gravidez indesejada. Na hora de se decidir, histórico familiar de trombose, tendência à acne, anemia, fortes cólicas são alguns fatores que podem influenciar e, até mesmo, contra indicar um método.

E, claro, lembre-se que essa decisão deve ser tomada em conjunto com uma ginecologista. Afinal, nada mais seguro do que tomar decisões com respaldo de um profissional capacitado para orientar sobre saúde sexual e reprodutiva.

E SE VOCÊ QUISER ENGRAVIDAR APÓS UM TEMPO?

Ambos podem ser removido a qualquer momento, caso a mulher planeje uma gestação. E, contrariando um mito ainda vigente: nenhum deles causa infertilidade, são extremamente seguros e eficazes! Inclusive, são recomendados pela Organização Mundial da Saúde para uso por mulheres jovens e adolescentes.

Gostou das dicas e esclarecimentos? Deixe seus comentários!

136 visualizações